Angolano de tradição Bakongo visita Ilabantu/Nzo Tumbansi

Itapecerica da Serra/SP – O ensino de línguas tradicionalmente faladas na região central de África, como o Kikongo, kimbundu, entre outras, direcionadas para comunidades tradicionais de povos de matrizes africanas, bem como para outros públicos, foi uma das propostas apresentadas ao Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno), pelo empresário africano angolano, Abdu Ferraz Malungu, de tradição bakongo, que esteve na sede nacional do ILABANTU/Nzo Tumbansi, dia 31/8, na cidade de Itapecerica da Serra/SP.

Segundo Abdu Ferraz Malungu, o projeto visa acabar com informações distorcidas sobre as tradições mantidas e preservadas em solo africano, tanto quanto a desinformação gerada pelas práticas de aventureiros que se arvoram em ministrar cursos sobre tradições que desconhecem tanto do ponto de vista teórico, quanto pela falta de embasamentos vivencial, levando as pessoas ao erro e ao engano. “o incentivo a introdução das línguas tradicionais nas comunidades de povos de matriz africana no Brasil pelo Ilabantu, é uma medida acertada, porque a identidade cultural de um indivíduo e do seu povo manifesta-se pela língua”, declarou Ferraz.

Por sua vez, Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi, afirmou que o Ilabantu irá elaborar um Projeto nesse sentido, a fim de buscar apoio de instituições da iniciativa governamental e privada, como outras ONGs parceiras do ILABANTU.

De acordo ainda com o Representante dos povos bakongo, numa primeira fase a língua nacional Kikongo poderá ser ministrada nas comunidades de povos de matriz africana inicialmente no eixo São Paulo e Rio de Janeiro por especialista na temática de culturas tradicionais, um Professor vindo diretamente da República de Angola, e sublinhou que a introdução da língua nacional Kikongo e ajudará em muito na manutenção e preservação dos valores culturais das tradições transplantadas do além-atlântico para os Terreiros de candomblé.

Em sua visita ao Ilabantu, Abdu Ferraz foi recebido por membros do Nzo Tumbansi, comunidade tradicional de matriz africana Congo Angola, na ocasião estava presentes o jornalista Cosme Felix, diretor da Ordem das Entidades Afro Brasileira (OEAB) e editor do jornal Tribuna Afro Brasileira, também contou com a presença da assistente social Maria Cristina Perez.

No comments yet.

Join the Conversation