[Atualizado!] Confira a programação completa do Conversa de Terreiro no Ilabantu/Nzo Tumbansi

conversa-de-terreiro-ilabantu-logo

Itapecerica da Serra/SP – Conversa de Terreiro: Ressignificando a História e a Cultura Africana e Afro-brasileira na Escola, dia 8 de março de 2014 das 10h00 às 19h00 na Comunidade Tradicional de Matriz Africana Bantu – ILABANTU, localizando na Rodovia Armando Salles, 5205 – Recreio Campestre – Itapecerica da Serra/SP.

Conversa de Terreiro conta com o apoio da Prefeitura de Itapecerrica da Serra.

Programação

10h00: Abertura Tradicional

Coordenação Geral: Walmir Damasceno: jornalista, especialista em relações para educação étnico-raciais e africanidades, graduado em Direito pela Universidade São Marcos (SP), fundador do Instituto Latino Americano de Tradições Afro Bantu (ILABANTU), Coordenador de Politica de Promoção da Igualdade Racial do Gabinete do Prefeito de Itapecerica da Serra/SP

10h15: Conferência Especial

Marga Janete Stroher: Assessoria de Direitos Humanos e Diversidade Religiosa – Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos- Secretaria de Direitos Humanos/Presidência da República

10h30 : Mesa 1

Perseguição aos cultos afro-brasileiros uma nova espécie de holocausto?
Coordenadora: Veridiana Machado – Makota Maiangansi – Terreiro Tumbansé/ Salvador-Ba. – Mestranda em Psicologia na FFCLRP/USP

1. Professora Mestra Rosiane Rodrigues, jornalista, com especialização em História do Holocausto pelo Museu Yad Vashen (Jerusalém, Israel), pós-graduada em Educação para as Relações Étnico-Raciais e Mestra em Antropologia pela UFF/RJ. Autora do livro “Nós” do Brasil e pesquisadora do Núcleo Fluminense de Estudos e Pesquisas (NUFEP) e INCT-INEAC / UFF

Os desafios, as contribuições, os preconceitos

2. Professora Érica Ferreira, Geografia – USP -Professora da Prefeitura de São Paulo – Ensino Fundamental II Especialização em Formação de Professores (Ensino Superior) pelo IFSP – Instituto Federal São Paulo

11h20: Apresentação grupo de rap PRODUTO LOCO

11h45: Mesa

Educação para as Relações Étnico-Raciais: Racismo e intolerância religiosa na Escola

Coordenadora: Dra Eunice Kitamazi Nganga – Médica Sanitarista, pós-graduada em Planejamento e Gestão Pública, da Prefeitura Municipal de Paulínia (SP), e da Vigilância em Saúde da Prefeitura Municipal de Campinas (SP), Conselheira do ILABANTU/Nzo Tumbansi.

Professor Deivison Nkosi: Professor, Graduado em Ciências Sociais pelo Centro Universitário Santo André (2005); Mestre em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina do ABC (2010) e Doutorando em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia – UFSCAR (PPGS-UFSCAR).

Tem experiência nas Áreas: Relações Raciais e Racismo com ênfase em Educação Para as Relações Étnico-Raciais e Saúde da População Negra; Já atuou em projetos de Prevenção às DST/AIDS, Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos, Combate ao Racismo Institucional, Africanidades e Movimento Hip-Hop.

12h30: Apresentação Cultural – Kwê Mina Odan Axé Boço Dá-Hô – Mãe Sandra de Xandantã

13h00: Almoço Tradicional

14h00: Apresentação da Escola de Samba Rosa Serrana

14h30: Mesa 3 – Experiências escolares no ensino das religiões de matriz africana

Coordenador: Professor Mauricio Mutadiamy Santos – Instituto de Educação Mwana Zambe

1. Professor Doutor Otair Fernandes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – UFRRJ/Campus Nova Iguaçu, Professor Adjunto do Departamento Educação e Sociedade (DES), Coordenador do Laboratório de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Leafro/UFRRJ), Grupo de Pesquisa Educação e Relações Étnico-Raciais (GPESURER), Pet/Conexões de Saberes: dialogando e interagindo com as múltiplas realidades e saberes da Baixada Fluminense/RJ.

2. Professor Milton Silva dos Santos – Doutorando em Antropologia Social pela UNICAMP, onde realiza pesquisa sobre o ensino das religiões em escolas estaduais dos municípios de São Paulo e Campinas. Coordenou e ministrou cursos de formação em cultura afro-brasileira (ONG Ação Educativa, Museu Afro Brasil, PUC-COGEAE, Secretaria de Educação de Barueri-SP, UNESP-Campus Presidente Prudente e outras instituições).

15h20: Apresentação Cultural Grupo Deodara

16h00: Mesa 4

O espaço sagrado e profano nas religiões de matriz africana

Coordenador: Professor Paulo Sergio Barboza – Professor da Rede Estadual de Ensino de São Paulo, ativista político e do Movimento Negro Autônomo

1. Professor Jonathan Marcelino: Graduado em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (2010). Mestre em Geografia Humana/política pelo Programa de Pós Graduação em Geografia Humana do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo USP (2013).

2. Pedro Neto: Cientista Social PUC-SP, pesquisador em Antropologia das Populações Afro-Brasileiras, desde 2000 é membro do Núcleo de Relações Raciais, Memória, Identidade e Imaginário do PEPG-PUC-SP coordenado pela Profa. Teresinha Bernardo e Pesquisador Técnico da FAPESP no projeto “Racismo e Educação: A Lei 10.639/2003 na rede estadual de São Paulo”.

16h46: Mesa 5

O olhar antropológico sobre as Religiões de Matriz Africana

Coordenadora: Zélia Lucas Patrício, Assistente Social (Unisa) Pedagoga (FAPI) atuou por 9 anos na Coordenadoria de Mulheres e Promoção da Igualdade Racial de Osasco desenvolvendo politicas publicas. Assessora Técnica na Secretaria Municipal de Politicas de Promoção da Igualdade Racial de São Paulo (SMPIR) na Coordenação de Patrimônio Cultural e Comunidades Tradicionais.

1. Professora Patrícia Ferreira e Silva mestre em Antropologia Social (USP), pesquisadora do CERNe (USP).

2. Professor Rodney William Eugenio é antropólogo, graduado em Ciências Sociais, mestre em Gerontologia Social e doutorando em Ciências Sociais (Antropologia) pela PUC-SP. Babalorixá do Ilê Obá Ketu Axé Omi Nlá, em São Paulo.

17h00 horas: Apresentação cultural “Ao som dos tambores bantu”

Sob a responsabilidade dos Kambondos “mestres-tocadores” do Nzo Tumbansi.

18h00: Mesa 6

Os estudos bantos no âmbito dos estudos de africanidade religiosa no Brasil

Coordenador: jornalista Cosme Aparecido Felix, Presidente da OEAB – diretor-editor do jornal U&C Tribuna Afro Brasileira

1. Professor Doutor Carlos Serrano (USP), Doutorado em Antropologia Social – Universidade de São Paulo, USP, Brasil – Título: Angola: nasce uma nação. Estudo sobre a construção da identidade nacional, Ano de obtenção: 1988. Orientador: Fernando Augusto Albuquerque Mourão. Bolsista do (a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil. Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.

2. Professor Doutor Sérgio Paulo Adolfo, professor assistente da Universidade Estadual de Londrina/PR – Taata Kisaba Kiundundulu, do Nzo Tumbansi, Conselheiro do Ilabantu.

3. Professor Edson Kakolo, Engenheiro (Universidade Jean Pieget, Benguela, Angola), Membro da Sociedade Tradicional Chaya Kokue, Saurimo, Lunda-Sul/Angola.

18h40: Apresentação do Grupo de Capoeira Filhos de Tupinambá – Mestre Canibal

There are 7 comments. Add yours

  1. 25th fevereiro 2014 | Vera Lúcia de Jesus says:
    Moro em Belo Horizonte, gostaria de participar. Favor enviar o preço do evento. Agradeço, Vera.
  2. 26th fevereiro 2014 | admin says:
    Boa noite Vera, não existe custo nenhum para o evento. É só comparecer. Atenciosamente Assessoria de Comunicação.
  3. 3rd março 2014 | Di Silver - Rádio Atabaques says:
    Caríssimos, nós da Rádio Atabaques, gostaríamos de cobrir o evento, gravado ou ao vivo. Para tanto, solicitamos liberação ou credencial de imprensa, Axé Odara: Di Silver - Radialista DRT 46.131SP
  4. 4th março 2014 | Fernando Yépez Rivas says:
    Quito DM, 04 de março de 2014 Senhores Inzo Tumbansi.org Brasil.- Boa tarde prezados amigos neste site web: Agradeço oportunidade de fazer contato com vocês...Celebro agradavel momento e desejo ter mais informaçao o q vocs fazem. nesta organizaçao dos afrodescendentes no Brasil ¡Um forte abraço com chuvas d bençoes! Atte.- Fernando Yépez Rivas. Lic. Jornalista Diplomado Diretor Adjunto Colegio Latinoamericano dos Jornalistas no Equador-COLAPER www.colaper.com e-mail: miferyeri@gmail.com movil: (593) 0998539989 t ) @pretoyepez f) Fernando Yépez-Rivas
  5. 7th março 2014 | admin says:
    Seja bem vindo!
  6. 5th maio 2015 | adalberto paiva guimaraes says:
    Eu gostaria de saber quantos terreiros registrados e não registrados no Brasil ,de todos os seguimentos e étinias .
  7. 5th maio 2015 | adalberto paiva guimaraes says:
    gostaria de saber quantos terreiros tem no Brasil todos .

Join the Conversation