Diálogo de Lideranças de Matriz Africana realizado com sucesso na Bahia

Ilhéus e Salvador/BA – No dia 12 de setembro, Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno) desembarcou em Salvador/Bahia, com o propósito de coordenar o DIÁLOGO DE POVOS E COMUNIDADES TRADICIONAIS DE MATRIZ AFRICANA realizado no dia 16 de setembro, no centenário Terreiro Matamba Tombenci Neto em Ilhéus/Bahia.

Cerimonial do Matamba Tombenci Neto anunciando a abertura oficial do Diálogo.

 

O evento teve inicio na sede central do ILABANTU, em Itapecerica da Serra/ São Paulo, em ambas as edições, São Paulo e Bahia, houve uma ampla discussão sobre as Políticas Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT,) instituída em 2007, por meio do Decreto nº 6.040.

Taata Raimundo Konmannanjy, presidente da Acbantu após reunião com o Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno), do ILABANTU/Nzo Tumbansi

 

A Política é uma ação do Governo Federal que busca promover o desenvolvimento sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais, com ênfase no reconhecimento, fortalecimento e garantia dos seus direitos territoriais, sociais, ambientais, econômicos e culturais, com respeito e valorização à sua identidade.

Proposta do Ilabantu

A proposta do evento idealizado pelo Instituto Latino Americano de Tradições Afro Bantu (Ilabantu), com sede em São Paulo, foi realizada na sede do Terreiro de Matamba Tombenci Neto, comunidade tradicional de matriz africana congo-angola mais antigo do interior da Bahia e teve a presença de diversas e variadas personalidades do mundo político, social, cultural, religioso e acadêmico e do ex-coordenador da instituição, o jornalista e Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno), além de outras lideranças de povos e comunidades tradicionais de matriz africana da Bahia.

O prefeito de Ilhéus/Ba quando conversava com o Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno), durante o Diálogo de Lideranças de Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana realizado pelo ILABANTU em parceria com Rede Matamba Tombenci Neto.

 

Segundo Damasceno, “as ações e atividades voltadas para o alcance dos objetivos da Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais ocorrem de forma Inter setorial e integrada. Desta forma, compete às lideranças de povos e comunidades tradicionais cobrar a implementação dessas politicas”.

Na edição baiana, Taata Katuvanjesi foi recebido pela Nengwa Kwa Nkisi Lembamuxi, a carismática Mãe Florzinha, herdeira e sucessora de Tuenda dia Nzambi (Maria Genoveva do Bomfim), e recepcionado por filhos e filhas de santo da mais importante Comunidade Tradicional de Matriz Africana Bantu, o terreiro de candomblé congo-angola “Tumbenci” casa-tronco do Nzo Tumbansi.

Da esquerda para a direita, de camisa social rosa, o líder regional e prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, prestigiando o Diálogo de Lideranças e Povos de Comunidades Tradicionais de Matriz Africana realizado pelo ILABANTU/Nzo Tumbansi e Rede Matamba Tombenci Neto.

Em Ilhéus

Em Ilhéus, evento foi aberto por Taata Kambandu Kajabereomam (Gilsonei Rodrigues), que assumiu o comando do cerimonial e anunciou as bênçãos e saudação especial da matriarca do Terreiro de Matamba Tombenci Neto, Mãe Ilza Mukalê que compôs a mesa presidindo e conduzindo a abertura tradicional.

Também fez parte da mesa, o Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno); Taata Kambandu Luandenkossi (Marinho Rodrigues); professora doutora Marlúcia Mendes da Rocha, Secretaria Municipal de Educação de Ilhéus e coordenadora do curso de comunicação social, radio e Tv da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC); Makoota Ngangara Muxin – Professora Doutora Valéria Amim que falou sobre o Mapeamento, Manutenção e Preservação das Comunidades Tradicionais de Matriz Africana como Forma de Enfrentamento ao Racismo no Sul da Bahia.

Composição da mesa do Diálogo de Lideranças e Povos Tradicionais de Matriz Africana em Ilhéus/Bahia

 

O Taata Kambandu Luandenkossi – Marinho Rodrigues mostrou ás Ações do Matamba Tombenci como Forma de Resistência das Africanidades. A Profª Drª Marlúcia Mendes da Rocha – Secretaria Municipal de Educação de Ilhéus ficou encarregada de falar sobre o Que Diz a Lei 10.639/03 e as Novas Práticas Escolares: Entraves.

O ultimo a falar foi o Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno, Coordenador de Politicas de Promoção da Igualdade Racial de Itapecerica da Serra/SP que abordou o tema: Fortalecendo a Ancestralidade Africana no Brasil: Enfrentado o Racismo. A, pois os convidados falarem foi franqueada a palavra para que os presentes pode se falar. Para abrilhantar ainda mais o evento os presentes foram presenteados com uma bela apresentação de dança do bale afro Dilazenze do Terreiro Matamba.

Público presente ouvindo atentamente a fala do Taata Kwa Nkisi Kajiongongo

 

No final do encontro o líder político regional, ex-deputado e atual prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro, que esteve no Diálogo, ressaltou que seu governo está empenhado em implementação de politica que possa apoiar a preservação e manutenção dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana e para isso confio desde já à responsabilidade ao Taata Kambandu Luandenkossi – Marinho Rodrigues na direção do “Memorial da Cultura Negra”, vinculada a secretaria de Cultura de Ilhéus.

Convidado pela Secretaria Municipal de Educação de Ilhéus, professora doutora Marlúcia Rocha, o Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno) participou da banca julgadora do Projeto Estruturante, em um evento da Direc-6 Secretaria de Educação do Estado da Bahia, realizado no Centro de Convenções de Ilhéus e em seguida retornou a Capital baiana, Salvador a fim de cumprir obrigações tradicionais no Unzó Tumbenci de Maria Neném e ainda teve uma reunião de trabalho com Raimundo Nonato da Silva – Taata Lubitu Konmannanjy, presidente da Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (Acbantu), que entregou a certificação ao Nzo Tumbansi, numero 102.

No comments yet.

Join the Conversation