Ecobantu dialogará sobre revalorização dos afrodescendentes e discutirá políticas públicas para povos de terreiros

Encontro deverá contar com palestra magistral do Ministro da Cultura, Juca Ferreira

ecobantu_site

São Paulo/SP – Um grande público está sendo aguardado na sexta-feira, da próxima semana, dia 23/10, a partir das 8h30 na Galeria Olido – Edifício-Sede da Secretaria Municipal de Cultura, Avenida São João, 473, Centro, São Paulo para o III ECOBANTU – ENCONTRO INTERNACIONAL DAS TRADIÇÕES BANTU NO BRASIL, promovido pelo o Ilabantu, em parceria com diversas entidades culturais e tradicionais. Segundo Taata Katuvanjesi – Walmir Damasceno, “o Projeto, nasceu nas discussões dos Encontros “Conversa de Terreiro”, evento tradicional do Inzo Tumbansi, Terreiro de candomblé congo-angola, sediado em Itapecerica da Serra, SP, um importante espaço de ressignificação e reflexão dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana.

O encontro deste ano proporciona reunir gestores, operadores de cultura e dos direitos humanos, educadores, professores, pesquisadores, lideranças de povos e comunidades tradicionais de matriz africana, e interessados em geral a fim de discutir o tema “Reconhecimento, justiça e desenvolvimento, a revalorização dos aportes culturais dos africanos e seus descendentes na construção e formação do Brasil e América Latina”. O evento celebra a Década dos Afrodescendentes, aprovada e recomendada pela ONU.

A programação terá inicio às 8h30h, com abertura da “Exposição Fotográfica África em Nós”, no foyer da Galeria Olido. Em seguida será formada a mesa que será composta por Autoridades Tradicionais de Matriz Africana e Afro Brasileira, personalidades de umbanda e candomblé, relembrando as “Africanidades Bantu, Yorubá e Afins: O legado do Além-Atlântico na construção do Brasil”. As 9h30, a cantora de samba e MPB Céllia Nascimento fará uma apresentação musical, para às 10h00 o público presente assistir a conferência magistral a ser proferida pelo ministro da Cultura, Juca Ferreira.

III ECOBANTU terá a presença e participação de convidados especiais de diversas e variadas capitais e cidades brasileiras e de outros países, como Angola que está confirmada a presença da professora doutora Ana Maria de Oliveira – Antropóloga, Educadora Social e ex-ministra da Cultura de Angola; doutora Judith Luacute, angolana e impulsionadora das culturas tradicionais africanas; Joaquim Augusto Belo Barroso Mangueira, Embaixador Cônsul Geral de Angola em São Paulo, que representará a comunidade diplomática no Brasil.

10h45, o professor e pesquisador do Grupo Kilombagem, Deivison Nkosi, instalará a Mesa I: “As Politicas Publicas de Preservação e Fomento as expressões tradicionais no Brasil e na América Latina”, que terá como convidados gestores públicos como, Nabil Bonduki, Secretário Municipal de Cultura de São Paulo; o jornalista Mauricio Pestana, Secretário Municipal de Promoção da Igualdade Racial; Alexandre Padilha; Secretário Municipal de Saúde; Cida Abreu, presidenta da Fundação Cultural Palmares/MinC; Givânia Maria da Silva, Secretaria de Politicas para Comunidades Tradicionais – Seppir;

12h00 Mesa II: “As Tradições de Matriz Africanas Meio Editorial Contemporâneo Desafio e Possibilidades”, será coordenada pela angolana Judith Luacute, e tem como convidados o professor doutor, Narciso Francisco Cobe, que falará sobre a importância das línguas como forma identitária de um povo e fará o lançamento do Dicionário Português Kikongo; o professor Marciano Ventura (Editora Ciclo Contínuo) – “A literatura negra e o seu universo cultural”; o professor doutor Arlindo Isabel, diretor geral da Mayamba Editora discorrerá sobre “A literatura angolana contemporânea e seu legado na construção do Brasil e América Latina”, e Jonuel Gonçalves, angolano residente no Rio de Janeiro, “Va Ilha de Martinaz, romance histórico que versa o tema da escravatura”.

13h00 Intervalo para refeição e almoço, no período da tarde, a partir das 14h00 haverá atividades culturais, apresentação de Capoeira sob a responsabilidade do Grupo Tupinambá, liderado pelo Mestre Dejair Canibal. As 15h00, o produtor cultural e cineasta angolano, Aristóteles Kandimba, descendente do antigo rei Kandimba do Bailundo, coordenará a Mesa III – “Cantos e falas Bantu contemporâneos”, integrada por Mauricio Mutadiamy Luandê, Taata Nkisi e professor da rede estadual de ensino de São Paulo, que discorrerá sobre “Um Terreiro de Candomblé Congo-Angola na Grande Selva-de-Pedra chamada São Paulo”, Judith Luacute – “O Kimbanda Kâmbia: medicinal convencional x medicina tradicional”; a jornalista cubana María Ileana Faguaga Iglesias, versará sobre “Povos Bantu: Formação e Construção das Sociedades Latino Americanas e Caribenhas”. Fechando esta mesa com a participação da professora e pesquisadora Janaína Figueiredo, “Nkisi na diáspora: raízes bantu no Brasil e o angolano Isidro Chiculo Sanene, Artista Plástico e Escritor Angolano”.

16h00 Mesa IV – Existências e Resistências dos Povos Bantu para a construção e formação da América Latina e Caribe, a ser coordenada por Raimundo Nonato da Silva, Taata Konmannanjy, presidente da Associação Cultural Nacional do Patrimônio Bantu (Acbantu), Salvador/Bahia; composta por Givânia Maria da Silva – Secretaria de Políticas para Comunidades Tradicionais – SECOMT/SEPPIR/PR – “O que é politicas para comunidades tradicionais?”

Hédio Silva Junior, professor doutor diretor do CEERT, “Ódio racial, tática de uma sociedade ultraconservadora?”, e o Bàbàlòórisà Aristides Mascarenhas, o pai Ari d`Ajagunã (Afonjá), Presidente da Federação Nacional do Culto Afro-Brasileiro (Fenacab, Salvador-Ba), que lançará uma das duas obras literárias e aproveitará o momento para prestar significativa homenagem a diversas e variadas lideranças de candomblé e umbanda presentes ao evento com Comenda Olorún Eledá, a maior distinção que entidade do candomblé baiano confere anualmente ao “povo-de-santo”.

17h00: Encaminhamento, Recomendações e Leitura da “Carta Bantu” do Brasil ao mundo

18h00, apresentação do Afoxé Filhos de Ganga Zumba, de Cubatão, litoral sul paulista
Exposição e lançamento de obras literárias de autores e escritores do Brasil, Angola, Moçambique e Cuba durante todo o evento.

Povos de Terreiros serão homenageados pela antiga Federação Baiana do Culto Afro Brasileiro

Lideranças de candomblé serão homenageadas com a Comenda Olorún Eledá, é encabeçada por Mãe Juju de Oxum, Baba Jorge de Oxóssi, Jorge de Amorim, irmão de Mãe Juju, que se encontra em São Paulo; Mãe Ada de Omolu; Iya Wanda de Oxum; Iyá Luizinha de Nanã, Asé Batistini; Nochê Sanda de Xandantã; Mam`etu Sessi Kaxi, herdeira e sucessora do saudoso Joãozinho da Goméia; Iyá Daniele de Oxum, Iyá Egbé do Batistini; Iyá Carmen d`Osun e Baba Karlito d`Osunmarê, Ile Ola Omin Axé Opô Araká; Doné Lourdes Togum; Taata Tauá; Mam`etu Carmen de Hongolo, Brasília; Tata Muxiki Ofaroji; Iyá Ana de Ògùn – Asé Ojú Onire; Ofanire Ologunede; Mam`etu Kissuanga, São Vicente, litoral sul paulista; Bàbá Celso d`Osalá; Mãe Rosane de Iansã; Bàbàlòórisà Francisco d`Osùn; Bàbá Carlinhos d`Oyá; Tata Katulemburanji; Bàbá Katembuká; Tata Kialeji, José Raimundo de Nkosi; Bàbá Mario Filho (Oníwindé Ifáṣọlá Ifárinú Olúsọjí Oyékàlẹ̀; Mam`etu Samba Diamaza – Mãe Arlete, de Porto Alegre; Mam`etu Diaminoyá; Babá Marcelo de Ologunede – Santos (SP); Mam`etu Korajacy, Montemor, região de Campinas; Mam`etu Dango, Hortolândia/SP; Bàbá Moacir d`Sangò – Campinas; Doné Oyassi; Mãe Neinha de Nanã; Pai Tonhão de Ogum; Pai Flávio de Iansã; Iyá Gabriela de Omolu; Iyá Sessu; Mam`etu Oyajidê, Pulqueria Albuquerque – Terreiro de Candomblé de Santa Barbara (o primeiro Terreiro de Candomblé de São Paulo); Egbomy Conceição Reis d`Ògún, coordenadora estadual do Intecab/SP; Bàbà Tony d`Ogún; Tata Aidan Silewá; Tata Nkisi Naruoxi; Tata Dagumbira, Jair Donizete; Mogba Sidney de Xangô, presidente do Movimento Mestres e Maestros; Pai Rodney de Oxóssi; Pai Sérgio de Oxum, Guarulhos; Mãe Silmara de Iemanjá; Mam`etu Kissamburê; Mãe Sueli de Oxum; Tata Ananguê, Nova Iguaçu/RJ; Tata Efamim Ia Lemba, de Niterói/RJ.

Autoridades Tradicionais de Umbanda: Pai Cassio de Ògùn; pai Juberli Varela; pai Milton Aguirre; Mãe Aparecida Nalessio; Sandra Santos; pai Jeferson de Ògùn; pai Ronaldo Linares; pai Jamil Rachid; Reinaldo Tupinambá.
Representando Juventude de Umbanda e Candomblé, respectivamente, Isabela Cardoso e Makota Mujikwele, também serão homenageadas pela mais antiga federação de cultos afro brasileiros do pais, a Fenacab, que também condecorará autoridades do mundo político.

Entre as autoridades politicas e sociais, foram convidados o prefeito Fernando Haddad, de São Paulo; Ministro da Cultura, Juca Ferreira; Ekedji, Sambista e Deputada Estadual, Leci Brandão; Cida Abreu, Presidenta da Fundação Cultural Palmares; Nabil Bonduki – Secretário Municipal de Cultura de São Paulo; Mauricio Pestana, Secretário Municipal de Igualdade Racial; Eduardo Suplicy – Secretário Municipal de Direitos Humanos e Cidadania; Cassio Rodrigo, assessor de Gênero e Etnias da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo; ex-deputado Sebastião Arcanjo, Tiãozinho, de Campinas; o diretor de Projetos Especiais da SPTuris, ex-secretário municipal de Igualdade Racial, Antonio Pinto (Toninho).

Serviço:

Informações sobre o Ecobantu: 11 9 9339.1977 – 11 9 4701.2106 (Taata Katuvanjesi)

Keza Dia Nzaambi, Redação Kimwanga-Nsangu

There are 4 comments. Add yours

  1. 14th outubro 2015 | maria firmino says:
    mto importante ... para todos nós povo de terreiro e cultura banto
  2. 15th outubro 2015 | giba says:
    Quero receber os eventos que vcs fazem
  3. 18th outubro 2015 | SERGIO FRANCISCO DOS SANTOS says:
    Parabens aos organizadores pelo evento.
  4. 30th outubro 2015 | Luiz Carlos da Silva says:
    Gostaria muito de sempre receber o programa dos eventos , que será realizados por vcs. Desde já agradeço.

Join the Conversation