Pedra de Xangô – Território Sagrado é tema de seminário em Salvador

Salvador/BA – O Espaço Cultural da Barroquinha recebe, nesta quarta-feira (6), a partir das 14h, o seminário “Pedra de Xangô – Território Sagrado”. O evento é realizado pela Prefeitura, através da Fundação Gregório de Mattos. A entrada é franca. Rodeada de imensa área de Mata Atlântica, a Pedra de Xangô está localizada nas imediações de Cajazeiras, na Av. Assis Valente, estrada que liga a região de Fazenda Grande I, Fazenda Grande II, Boca da Mata e Estrada Velha do Aeroporto. O local possui grande importância para os seguidores de religiões de matriz africana que vivem na região.

convite_pedradexango

O seminário pretende mostrar a importância da Pedra de Xangô como lugar sagrado e elemento de resistência cultural e aglutinador da teia de terreiros da área, bem como buscar a conscientização da sociedade para a preservação e tombamento do monumento natural e o seu entorno.

A programação do evento conta com a participação de autoridades, profissionais, personalidades e estudiosos da temática negra, a exemplo da secretária Municipal da Reparação, Ivete Sacramento; do presidente da FGM, Fernando Guerreiro; do arquiteto e professor da UFBA Fábio Velame; da bióloga e mestre em Estudos Etnicos e Africanos Sueli Conceição; do economista, dramaturgo, educador e diretor da Sociedade da Cultura Negra do Brasil Everaldo Duarte.

Estará também presente no evento Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno, que fará uma fala para os presentes.

Programação

14h: Abertura

Ivete Sacramento – Secretária Municipal da Reparação

Fernando Guerreiro – Presidente da Fundação Gregório de Mattos

14h20: Apresentação Musical

Cântico para Xangô – Associação Pássaro das Águas – Mãe Iara de Oxum

14h40: “Territórios de Candomblé. Entre o visível e o invisível na Cidade de Salvador”

Fabio Velame – Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (FAUFBA), professor adjunto I do Departamento da FAUFBA.

15h: “Desenvolvimento na contramão das tradições das comunidades de terreiros”

Sueli Conceição – Mestre em Estudos Étnicos e Africanos pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia e doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), licenciada em Biologia.

15h20: “Pedra de Xangô: Conhecer para preservar”

Jassilene Nascimento – Filha de Iansã, Ekede de Xangô do Terreiro Ilê Axé Ibá Lugan, representante da Associação Pássaro das Águas, pesquisadora da NGALC/UNEB, pós-graduada em Gestão Pública.

15h50: ‘A importância do meio ambiente para o Candomblé”

Walter Rui Pinheiro – Asógun do Ilê Axé Oyá Tunjá, coordenador geral da Irmandade Beneficentes de Ojés, Ogans e Tatas (SIOBÁ).

16h10: “Santuários Perdidos”

Everaldo Duarte – Economista, diretor da Sociedade da Cultura Negra do Brasil (SECNED), coordenador nacional do Instituto Nacional de Tradição e Cultura Afro-Brasileira (INTECAB), escritor, dramaturgo, educador e griot, contador de histórias e estórias, Agbagigan do Terreiro do Bogun.

16h30: Debates

17h30: Exposição de Fotografias

Ray e Lara Carvalho

17h40: Encerramento

Musical Afro

18h: Coquetel

Com informações da AGECOM – ASSESSORIA GERAL DE COMUNICAÇÃO, para a redação Kimwanga-Nsangu – Agência de Notícias

No comments yet.

Join the Conversation