Seminário em São Paulo reunirá líderes de matriz africana bantu

* Nayme Lourreine Bizaio

No dia 12 de outubro será realizado, das 9 às 20h00, o III Seminário de Comunidades Tradicionais Bantu, que oferecerá um dia inteiro de atividades e painéis de debates no Ilabantu com o objetivo de promover, valorizar e dar visibilidade à cultura bantu e tradições afro-brasileiras em todo Brasil.

O evento, que será uma prévia para o IV Encontro Internacional das Tradições Bantu (Ecobantu), abordará temáticas como a atual conjuntura e o retrocesso das políticas públicas de promoção da igualdade racial; combate a intolerância religiosa; patrimônio histórico e cultural dos Bantu; organização e articulações das Comunidades Tradicionais de Terreiros visando o seu fortalecimento político e institucional etc.

Além da participação de líderes de importantes terreiros de candomblé congo angola da Bahia, Rio de Janeiro, Espirito Santo, São Paulo e de  outros lugares do Brasil, o evento tem presença confirmada da cientista social Fabya Reis, Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Governo do estado da Bahia, e contará com um ilustre convidado, o mais  cortejado colecionador de arte contemporânea africana, empresário congolês-angolano Sindika Dokolo – presidente da Fundação que leva seu nome e esposo da mulher mais influente do continente africano, Isabel dos Santos, filha do atual presidente de Angola, José Eduardo dos Santos.

Cultura Bantu
Os bantu constituem uma civilização etnolinguístico localizado principalmente na África subsaariana, que engloba cerca de 400 subgrupos étnicos diferentes. A palavra bantu foi usada primeiramente com o significado de povo como é refletido em muitos dos idiomas deste grupo – em muitas destas línguas, usa-se a palavra ntu ou dela derivada referindo-se a um ser humano; o ba– é um prefixo que indica o plural para seres humanos em muitas destas línguas.

“Quase todas as populações da África Subsaariana, abaixo do Equador, descendem desta etnia”, que para lá migrou há cinco mil anos, o que equivale a “um curto espaço de tempo na escala evolutiva humana”, mostrando assim ser uma migração “muito bem sucedida”, indicou o coordenador geral do Instituto Latino Americano de Tradições Bantu (ILABANTU), Taata Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno).

Sobre o Seminário de Comunidades Tradicionais Bantu

O III Seminário está sendo organizado em parceria com diversas e variadas entidades: Associação Beneficente de Manutenção e Defesa do Terreiro Tumba Junsara (Abentumba), Salvador, Ba; Instituto de Educação e Cultura Mwana Zambe (Inzo Mutakalambo); CEB – Centro de Estudos Bantu/Casa Raíz do Benguê Ngola Djanga Ria Matamba (Nova Iguaçú, RJ); Terreiro de Candomblé Santa Barbara (Raiz Manaundê, São Paulo); Associação de Candomblé Nzo Jindanji Lunda Kioko(Belo Horizonte, MG); Associação de Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana Katina da Silva(São Paulo);  Federação Nacional do Culto Afro Brasileiro (Fenacab, Salvador Bahia); Nzo Musambu Mutakalambo (Itapevi, SP); Nzo Nganga Kilumino Nkisi Nzazi (Cariacica/ES); Nzo Tumbansi Kwa Ndanda – Nlunda Ye Nkosi (Guarujá, SP); Nzo Tumbansi Mundele Ia Nkosi Anga Nlemba (Maricá, RJ); Nzo Mavile Kongo (São Paulo). O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Itapecerica da Serra, através da Secretaria de Governo, e Secretaria de Promoção da Igualdade Racial do Governo do Estado da Bahia (Sepromi), AD Júnior – Liga Afrobrasileira, Nzo Kavunguoxi – (Duque de Caxias/RJ), Nzo de Nkosi Mavambu, Campo Limpo Paulista/SP, Nzo Matamba Candomblé Angola e Cultura Afro-Brasileira/São Paulo.

Serviço:
III Seminário de Comunidades Tradicionais Bantu
Dia 12 de outubro de 2017
Horário: das 09:00 às 20:00 horas
Rodovia Armando Salles, 5205 – Recreio Campestre – Itapecerica da Serra/SP
Telefones: 11 4321.6572 – 4165.4333 – 11 9 933.91977
Participação gratuita

* Nayme Lourreine Bizaio – Ascom/ILABANTU/Nzo Tumbansi

There are 8 comments. Add yours

  1. 30th agosto 2017 | MANOEL SEVERINO DA SILVA says:
    Acredito que o Seminário contribuirá para a minha formação humana e profissional. Como professor de História tenho que estar atento a toda discussão sobre a cultura e história afro e afro-brasileira. Não podemos esquecer de abordar as leis 10.639/03 e 11.645/08 em nossas salas de aulas e entre os nossos colegas de profissão.
  2. Sou Assistente Social e tenho muito interesse em conhecer mais sobre o tema.
  3. Sou Assistente Social e tenho muito interesse em conhecer mais sobre o tema e em conhecer mais sobre a história do meu povo.
  4. Tenho interesse em conhecer mais sobre a cultura e história dose negros.
  5. 12th setembro 2017 | Luselu says:
    Quando é que o Rei do Bailundu vem?
  6. 5th outubro 2017 | admin says:
    O Rei do Bailundo virá em breve, infelizmente enfrentamos burocracia em dois países.
  7. 5th outubro 2017 | admin says:
    Seja bem vinda nos dia 12 e 13 de outubro para conhecer nossa casa!
  8. 5th outubro 2017 | admin says:
    Manoel, ficaremos muito felizes em recebe-lo. Venha e faça suas contribuições!

Join the Conversation