Taata Katuvanjesi participa como debatedor em mostra de cinema angolano

Com mediação do angolano Aristóteles Kandimba, as exibições celebram o mês da independência do país africano, comemorada em novembro.

Aristóteles Kandimba

Aristóteles Kandimba: diretor, educador e produtor cultural

São Paulo/SP – Em novembro, mês em que é celebrada a Independência de Angola, será realizada uma mostra de cinema em que a produção oriunda do país africano poderá ser apreciada. Da mesma forma, os aspectos históricos e políticos do país serão tema de debates conduzidos por importantes nomes do cenário cultural e acadêmico de Angola e do Brasil.

A mediação dos debates será por conta do angolano tradicionalista Aristóteles Kandimba, educador, produtor cultural, membro fundador do Coletivo “Tupassi Pamossi” e diretor do filme AfroCariocas. Entre os debatedores também está o jornalista Walmir Damasceno (Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi) que é natural de Barra do Rocha, sul da Bahia. Iniciado no Candomblé de nação Congo/Angola em 1974 é coordenador nacional do Ilabantu (Instituto Latino-americano de Tradições Afro Bantu), e dirigente tradicional do Nzo Tumbansi.

AfroCariocas

As sessões acontecem na Praça Roosevelt, 158, Consolação, região central da Capital paulista.

Confira a programação:

– Sambizanga (1973) – Direção de Sarah Maldoror

Sábado, dia 8 de novembro das 15h00 às 17h00

Sinopse: Nome de um bairro de operários em Luanda, no qual se localizava uma prisão do regime colonial português – cujo assalto em 1961 constituiu o primeiro ato coordenado de sublevação armada contra essa ditadura fascista –, “SAMBIZANGA” em versão fílmica mostra como as mulheres também participaram na luta armada de libertação anticolonial e conta a história de Maria: “uma mulher que, com o seu filho às costas, viaja do interior até Luanda à procura do seu marido, Domingos, preso por razões políticas.

Tema do debate: ‘Um olhar crítico ao processo colonial e seus efeitos num Angola presente’

Debatedores: Carlos Gonçalves, jornalista angolano/diretor da Radio Mais Luanda e diretor de Conteúdos do Grupo Média Nova. Iniciou em 1984 na Radio Nacional de Angola, onde foi Repórter de Guerra. Realizador e Locutor de diversos programas e onde ocupou cargos como chefe de redação. Esteve ao serviço da Radio ONU e desempenhou também funções de Oficial de Comunicação da CPLP em Lisboa e mais recentemente foi Diretor de Comunicação do Governo de Luanda.

Liliane Braga Doutoranda do Programa de Pós-graduação em História Social da PUC-SP, mestre em Psicologia Social pela mesma Instituição, jornalista com bacharelado em comunicação social pela Faculdade Cásper Libero, educadora e gestora Cultural.

Mediação: Degelson Luciano Lubazandy, graduando em direito/ membro do Movimento Estudantil Angolano e membro fundador do Coletivo ‘’Tupassi Pamossi‘‘.

– O Kimbanda Kambia (1979) – Direção de Ruy Duarte de Carvalho

Domingo, dia 9 de novembro, das 15h00 às 17h00

Sinopse: Documentário da série “Presente Angolano – Tempo Mumuíla” que retrata um encontro com os curandeiros no Reino Jau, na província da Huíla, em que um curandeiro “tira” o mal lançado por um mago malicioso.
Tema do debate: Os aspectos abordados no filme do ponto de vista da assistência de enfermagem e da religiosidade Afro-Brasileira.

Debatedora: Judith Luacute (Enfermeira Chefe), natural do Huambo, Angola. Licenciada e pós-graduada em ciências de enfermagem pela Universidade de São Paulo – USP. Especialização latu-sensu em: Gestão Competitiva para Enfermagem pela Escola de pós-graduação FatorRH – São Paulo. Auditoria dos Serviços de Saúde pela Universidade de Ribeirão Preto. Mestrado em Gestão em Saúde pela Universidade Privada de Angola. Idealizadora e coordenadora do projeto de atendimento humanizado no Hospital Josina Machel (Luanda, Angola). Assessora e consultora de enfermagem. Mestranda em Gestão em Saúde e Secretária para o ensino e investigação da Associação Nacional dos Enfermeiros de Angola.

Arnaldo dos Anjos da redação Kimwanga-Nsangu – Ascom/Ilabantu

No comments yet.

Join the Conversation