Angolana Judith Luacute chega ao Brasil para participar do ECOBANTU

Evento tem presença confirmada de Secretária de Políticas para Comunidades Tradicionais da Seppir e diversas autoridades tradicionais e de governos

São Paulo/SP – Com tema central “reconhecimento, justiça e desenvolvimento, a revalorização dos aportes culturais dos africanos e seus descendentes na construção e formação do Brasil e América Latina”, o ILABANTU realizará o ECOBANTU – Encontro Internacional das Tradições Bantu no Brasil, dia 23 de outubro de 2015, das 08h30 às 20h00 na Sala Olido, Avenida São João, 473, Paissandú, no centro da Capital de São Paulo, Brasil. O evento, em parceria com diversas entidades ligadas às culturas tradicionais africanas e afro brasileiras, conta com o apoio de instituições governamentais como Secretaria Municipal de Cultura, Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Secretaria de Politicas para Comunidades Tradicionais da Seppir/PR, Assessoria de Gênero e Etnias da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, CEERT.

ecobantu_site

Para o encontro está confirmada a presença e participação de personalidades do universo do candomblé e umbanda, lideranças representativas de povos de terreiros. Da Bahia, o Bàbàlòórisà Aristides Mascarenhas, o Pai Ari de Ajagunã, do Ilé Asé Opô Ajagunã (Afonjá), presidente da Federação Nacional do Culto Afro Brasileiro (Fenacab, ex-Febacab, Salvador Bahia), Tata Lubitu Raimundo Konmannanjy, presidente nacional da Associação Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (Acbantu, Salvador, Bahia), além de outras lideranças do candomblé baiano.

De São Paulo, sede do evento, está confirmada a participação de o Movimento Articulado Às Águas de São Paulo, liderado pelo Babalorisá Ofanirê e Mãe Rosane de Iansã, assim como Egbomy Conceição Reis de Ògùn, coordenadora do Intecab/SP, Mam`etu Oyajidê (Pulqueria Albuquerque), herdeira e sucessora do Terreiro de Candomblé Santa Barbara, Mario Filho (Oníwindé Ifáṣọlá Ifárinú Olúsọjí Oyékàlẹ̀), Mam`etu Oyá Korajacy (Campinas/SP), entre outros.

No dia 23, logo cedo à exposição de arte “África em Nós” recebe o público geral, para em seguida ouvir a cantora e compositora de samba Céllia Nascimento. Além das falas e relatos de experiências e vivências em torno dos saberes e fazeres ancestrais, a programação que está sendo finalizada prevê diversas e variadas intervenções culturais por destacados grupos: Afoxé Filhos de Ganga Zumba (Cubatão, litoral sul paulista), lançamento do dicionário Português Kikongo de autoria do professor angolano Francisco Narciso Cobe, entre outras manifestações culturais de matriz africana, como Jongo, Maracatu, Capoeira, Samba de Roda, apresentação e lançamento de obras literárias de autores do Brasil e de Angola, exposição de produtos africanos e afros brasileiros.

Além da participação de lideranças de povos e comunidades tradicionais de terreiros, o Ecobantu tem presença confirmada de representantes do Governo Federal, Estadual e Municipal. De Brasília, a Seppir será representada por Givânia Maria da Silva, Secretária de Políticas para Comunidades Tradicionais; e Cida Abreu, presidente da Fundação Cultural Palmares; a Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo será representada pelo Assessor de Gênero e Etnias, Cassio Rodrigo.

O corpo diplomático africano no Brasil será representado pelo Cônsul Geral de Angola em São Paulo, embaixador Belo Mangueira. Personalidades estrangeiras já se encontram em São Paulo para participar do Ecobantu, a exemplo de Judith Luacute, representante do Ilabantu em Angola e África austral, que foi recebida em almoço tradicional na sede do ILABANTU/Nzo Tumbansi, sexta-feira (2/10), acompanhada do cineasta Aristóteles Kandimba, bisneto do Rei Kandimba, do Bailundo/Angola, e que contou com a presença do Oga Beto de Oliveira, chefe de gabinete da deputada Leci Brandão, Taata Mutadiamy, professor Mauricio Luandê, pai Jeferson Costa, da Associação Katina da Silva, Taata Hoji Lulendo, o musico Ivison Pessoa, Taata Arthur Mambulekwala, diretor de desenvolvimento cultural do Ilabantu.

Durante o almoço oferecido aos visitantes e convidados, moqueca de bacalhau do porto, “xinxim de galinha”, acompanhada de “funji” e outras iguarias da culinária angolana e afro-brasileira, foi amplamente discutido o fortalecimento do intercâmbio cultural Brasil/Angola

Serviço:

Informações sobre o Ecobantu: 11 9 9339.1977 – 11 9 4701.2106 (Taata Katuvanjesi)

Keza Dia Nzaambi, Redação Kimwanga-Nsangu

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.