Conferência discutirá Ancestralidade Bantu no Baixo Sul da Bahia: memória e convivência religiosa com mam’etu Kasanji

Valença/BA – AAcontece nesta quarta-feira, 18 de maio de 2016, a Conferência do Coletivo de Estudos e Pesquisas de Matriz Africana, será discutido “Ancestralidade Conferência discutirá Ancestralidade Bantu no Baixo Sul da Bahia: memória e convivência religiosa com mame´etu Kasanji, às 14h, no auditório Tempo Livre, da Escola Caxuté, município de Valença, região da Costa do Dendê.

O objetivo da conferência é alimentar o acervo do memorial Mameetu Kasanji, idealizado pelo Tata Luangomina, pesquisador sobre a trajetória da saudosa Mãe Mira (Mam`etu Kasanji) que estará sendo criado pela Associação Religiosa e Cultural Terreiro Caxuté Tempo Marvila Senzala do Dendê, para, como também, contribuir com a produção de registro sobre a convivência religiosa de dois sacerdotes que tiveram em suas vidas a presença sacerdotal da saudosa rainha negra do território do Baixo Sul. A conferência trará trocas de experiências do Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi e da Mam´tu Kwa Nkisi Kafurêngá.

Confira a programação abaixo, assim como uma breve apresentação da Mãe Bárbara (Mame´etu Kafurêngá) e do convidado Walmir Damasceno (Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi), líder tradicional do Nzo Tumbansi Twa Nzaambi Ngana Kavungu (Itapecerica da Serra/SP), e coordenador nacional do ILABANTU.

conf

Mame´etu Kafurêngá:

Atualmente é graduanda em Pedagogia. Diretora/fundadora da Primeira Escola de Religião e Cultura de Matriz Africana do Baixo Sul da Bahia – Escola Caxuté. Presidenta da Associação Religiosa e Cultural Terreiro Caxuté Tempo Marvila Senzala do Dendê (ACULTEMA). Sacerdotisa Afro dirigente do Kunzo Nkisi Caxuté Kitembo Mvila (Terreiro Caxuté). Poetisa afro-brasileira. Coordenadora da Federação Nacional do Culto Afro-Brasileiro (FENACAB), para as 15 cidades que compõem o Território do Baixo Sul da Bahia.

Taata Katuvanjesi:

Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno, Sacerdote Máximo do Nzo Tumbansi – Jornalista e Bacharel em Direito. Coordenador Nacional do Ilabantu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.