Rei do Ndongo organiza celebração para receber o Rei do Bailundo e Tata Katuvanjesi

O soberano do Reino do Ndongo, Buba Nvula Dala Mana “Cabombo”, disse hoje no Malanje, Angola, que o Reino está empenhado na realização de importante evento para receber outro soberano, o Rei do Bailundo, Ekuikui V. Confirmação oficial neste sentido foi feita pelo principal porta-voz do Reino do Ndongo, historiador e jurista Carlos Njinga em mensagem encaminhada ao ILABANTU que inclui a participação do seu coordenador geral, Tata Katuvanjesi – Walmir Damasceno, que embarca para Luanda, capital da República de Angola no próximo dia 22 de julho, atendendo a convite daquele soberano tradicional bantu.

Soberano do Reino do Ndongo, Buba Nvula Dala Mana

O monarca esteve recentemente na sede do Reino do Bailundo em encontro com seu homólogo Ekuikui V e o próximo encontro entre os Soberanos será dias 27 e 28 de julho em Mukulu-Ya-Ngola, na sede do Reino do Ndongo, na provincia(estado) do Malanje, na comunidade Dala Samba, Município de Cahombo, a mais de 100 quilómetros de Marimba. Sua majestade pontuou que será uma honra receber a visita do rei do Bailundo, e do brasileiro, Tata Katuvanjesi (Walmir Damasceno).

Carlos Njinga, jurista e historiador angolano
que vai receber Tata Katuvanjesi em Luanda

O rei Cabombo, com 96 anos de idade disse que Katuvanjesi além de ser “aquele filho que a casa torna”, participará das celebrações tradicionais públicas e privadas, visitará o local onde repousam os restos mortais dos reis Ngola Kiluanji e Njinga Mbandi.

Katuvanjesi, Ekuikui V e a Rainha Kassueka Tauape

O Soberano dos Umbundu, Ekuikui V, e a Rainha Kassueka Tauape, que em 2015 recepcionou o Coordenador Geral do ILABANTU, Tata Katuvanjesi, na Ombala Bailundo, municipio do Bailundo, localizado na Provincia do Huambo, Angola

1 comentário em “Rei do Ndongo organiza celebração para receber o Rei do Bailundo e Tata Katuvanjesi”

  1. Lina Efigenia Barnabé Cruz

    Tata Katuvanjesi desenvolve, há décadas, trabalho diferenciado, sério, enriquecedor; daí ser reconhecido e respeitado.
    Homenagem justa.
    Parabéns!
    Bjim

Deixe um comentário para Lina Efigenia Barnabé Cruz Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *