Rede municipal paulistana terá ensino de história e cultura africanas

São Paulo/SP – Na inauguração da nova sede da Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR), a Prefeitura de São Paulo assinou um termo de cooperação técnica com o Ministério da Educação para a implementação do ensino de história e cultura afro-brasileiras e africanas pela rede municipal de educação. O prefeito Fernando Haddad defendeu durante a inauguração nesta sexta-feira (24) a importância da construção de uma educação mais plural e inclusiva.

prefeitura_movimento_negro-01

“Ainda não existe a compreensão de que o combate ao racismo não é outra coisa que a defesa de toda a humanidade. Porque o cerne do racismo é a intolerância à diferença. E é com o aprendizado da tolerância que se gera uma sociedade mais democrática e mais fraterna”, afirmou Haddad.

prefeitura_movimento_negro-06

Para a implementação da lei 10.639/2003, que inclui no currículo oficial a história e a cultura afro-brasileiras, estão em desenvolvimento materiais didáticos e cursos de capacitação para os professores. “Temos hoje o lançamento de dois instrumentos educacionais poderosos: o Plano Estratégico para implementação das Leis 10.639 e 11.645 e a publicação da síntese da coleção História Geral da África, com dois volumes pedagógicos.

prefeitura_movimento_negro-02

Este material será destinado aos professores”, explicou o secretário municipal de Promoção da Igualdade Racial, Netinho de Paula.

Os dois volumes da História Geral da África abordam o desenvolvimento do continente desde a pré-história até o século XX. Trata-se da versão condensada de oito volumes produzidos pela Unesco, em parceira com o MEC. A publicação é uma edição especial voltada para a cidade de São Paulo.

prefeitura_movimento_negro-03

Segundo o secretário municipal da Educação, César Callegari, cursos de capacitação para professores sobre a história africana já estão sendo ministrados nos pólos da Universidade Aberta do Brasil em São Paulo, oferecidos pela Universidade Federal de São Carlos.

O Plano estratégico para a implementação da Lei 10.639 e 11.645 em São Paulo foi elaborado pelo Grupo de Trabalho Intersecretarial Educação das Relações Etnicoraciais coordenado pela SMPIR e composto pelas secretarias municipais de Educação (SME); de Esportes, Lazer e Recreação (SEME), de Cultura (SMC) e de Governo (SGM).

prefeitura_movimento_negro-04

A nova sede da SMPIR está localizada no sexto andar do edifício Grande São Paulo, na região central da Capital. A estrutura conta com um auditório com capacidade para 70 pessoas e salas de reunião disponíveis para todas as áreas da secretaria. A inauguração contou com a presença de lideranças do movimento negro, de povos e comunidades tradicionais de matriz africana (Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno); de Luiza Barros, Ministra de Estado Chefe da Secretaria de Políticas de Promoção de Igualdade Racial da Presidência da República(Seppir), e de Macaé Maria Evaristo dos Santos, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação; do Secretário de Governo da Prefeitura de São Paulo, Chico Macena (na foto abaixo com Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno).

prefeitura_movimento_negro-05

Durante o evento, o secretário Netinho de Paula apresentou um relatório sobre as ações desenvolvidas pela secretaria em seu primeiro ano de funcionamento. “Avançamos no desenvolvimento econômico, com a juventude negra, com mobilização social, com participação em eventos nacionais e internacionais e com a educação étnico-racial”, disse o secretário. Ele destacou ainda a adesão ao programa Juventude Viva, do Governo Federal, e o trabalho em parceria com entidades da sociedade civil para capacitação de professores e gestores.

Uilian T. Vendramin, da redação Kimwanga-Nsangu – Agência de Notícias

2 comentários em “Rede municipal paulistana terá ensino de história e cultura africanas”

  1. +Uma modesta contribuição =>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

    O MARACATU

    Quem Quiser Que Venha Ouvir!,
    Na Minha Flauta De Bambu!!!
    A Flauta Que Faz O Samba.

    É A Mesma Que Faz O Maracatu,
    Minha Gente Eu Toco O Samba
    Assim Como Toca O Maracatu.

    Maracatu É O Irmão Do Samba,
    Ele Também É Brasileiro,
    Veio Do batuque Do Terreiro.

    Na Minha Flauta Feita De Bambu,
    Minha Gente Eu Toco O Samba,
    Assim Como Toco O Maracatu!

    Maracatu Nasceu Junto Com O Samba,
    Um Atabaque No Terreiro,
    Com Berimbau E Um Pandeiro.

    Vai A Boneca levada Na Ponta Do Bambu,
    Uma Negra Dança O Samba,
    Vinte E Um Negros Cantam O Maracatu!!!

    Vai A Boneca Levada Na Ponta Do Bambu,
    Vinte E Um Negros Dançam O Samba,
    Uma Negra Canta O Maracatu!!!.

    Autor: Poeta-“Ru”
    Rubens de Souza Fernandes

    Saudações Afrodescendentes Fraternais !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.