Kizoonga Bantu traz Matriarca do Tumbenci a São Paulo

Itapecerica da Serra/SP – Nengwa kwa Nkisi Lembamuxi, a carismática Mãe Florzinha, como é conhecida a senhora Gereuna Passos Santos, a herdeira e sucessora do Unzó Tumbenci de Maria Neném, de Salvador, e sua comitiva, desembarca nesta sexta-feira, dia 17 de maio, às 13h30 no Aeroporto Internacional de São Paulo-Congonhas, procedente de Salvador a fim de presidir dia 18 às 9h00 a celebração tradicional do evento “Kizoonga Bantu Katatu” – Terceira Reunião do Povo Tradicional, que o ILABANTU/Nzo Tumbansi está promovendo em parceria com a Fundação CEPAM, Coordenadoria de Politicas para População Negra e Indígena da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, mandato da Deputada Leci Brandão e Coordenadoria de Políticas Públicas de Igualdade Racial do Gabinete do Prefeito de Itapecerica da Serra.

A matriarca do Tumbenci, hoje uma das mais importantes das sacerdotisas do candomblé de tradição congo-angola, será alvo de uma rápida homenagem ainda no Aeroporto e será recepcionada pelo Coordenador de Políticas Públicas de Igualdade Racial do Gabinete do Prefeito de Itapecerica da Serra, jornalista Walmir Damasceno, que também é Taata Kwa Nkisi do ILABANTU/Nzo Tumbansi, comunidade tradicional de povo de matriz africana da vertente bantu. Após os cumprimentos de praxe, a Nengwa kwa Nkisi Lembamuxi e sua comitiva rumará em caravana para a Estrada Armando Sales, 5205, Jardim Campestre, município de Itapecerica da Serra, região metropolitana sul da Grande São Paulo, sede do ILABANTU/Nzo Tumbansi. Neste local, será recebida em almoço tradicional, ocasião em que será saudada por filhos e filhas de santo do Nzo Tumbansi.

Nengwa Lembamuxi é a sucessora de Maria Genoveva do Bonfim, Thuenda Dia Nzambi, ou mais conhecida como Maria Neném. É ela, Nengwa Lembamuxi, que por sua competência, espiritualidade e firmeza de caráter, foram escolhida pelo Nkisi da Matriarca, Tat`etu Kavungu, a reabrir a casa que permaneceu fechada durante muito tempo à espera de um herdeiro, que desse continuidade ao trabalho da fundadora do Congo-Angola no Brasil e que tivesse a mesma determinação e o mesmo amor pelos Bankisi.

Além de Nengwa Lembamuxi, estão confirmadas as presenças de Raimundo Nonato da Silva – Taata Lubitu Konmannanjy, presidente da Acbantu/Salvador; professora doutora Yeda Pessoa de Castro (UFBa./UNEB); Makoota Diavulangongo – Kely Lessa Oliveira, do Tumbenci (casa tronco), entre outros.

Terceira Reunião do Povo de Comunidade Tradicional Afro Bantu

Público

Lideranças de comunidades tradicionais de matriz africana Bantu da Bahia, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Recife e Maceió

Programação

9h00 Recepção – Inscrições – Entrega de material

10h00 Abertura Tradicional Bantu, Nengwa Kwa Nkisi Lembamuxi, herdeira e sucessora do Unzó Tumbenci de Maria Neném – Casa Matriz de Salvador (BA)

10h10 Conferência Especial, Luiza Bairros, ministra, chefe da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir-PR)

Palavra de Autoridades Tradicionais, Políticas e Sociais

11h00 E xposição: Revitalização das Tradições Bantu no Brasil, Walmir Damasceno – Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi, diretor do Ilabantu/Nzo Tumbansi

11h30 Exposição: A Contribuição dos Povos Bantu na Construção do Patrimônio Cultural Brasileiro e Combate ao Racismo, Yeda Pessoa de Castro, professora doutora da Universidade Federal da Bahia / Universidade do Estado da Bahia (UFBA./Uneb), Salvador (BA)

13h00 Intervalo para Almoço

14h00 Exposição: As Famílias Tradicionais na Construção dos Fazeres e Saberes Bantu no Brasil, Raimundo Nonato da Silva – Taata Lubitu Konmannanjy – presidente da Acbantu, Salvador (BA)

14h30 E xposição Tema: “MAKAIA: As folhas sagradas da tradição Congo-Angola”, Joselito Evaristo da Conceição – Taata Taua – Presidente da Cobantu – Inzo Manzu Unkuanxeto – Carapicuíba/SP

15h00 OFICINA COLABORATIVA : Arqueologia no quilombo e sua interface com a religiosidade afro-brasileira, Patrícia Marinho – arqueóloga, mestra no programa de Pós-graduação do Museu de Arqueologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP)

16h00 Roda de Reflexão

Reflexão sobre os 10 anos da Lei 10.639 em São Paulo: dificuldades, avanços e a contribuição da matriz bantu. Troca de reflexões entre os participantes mediados pelos palestrantes – Liliane Pereira Braga, jornalista, e Professor

Maurício Ferreira dos Santos

18h00 Cerimônia Tradicional em Homenagem ao nkisi Katendê

19h00 Encerramento

Local: Instituto Latino-Americano de Tradições Afro Bantu – Ilabantu

Estrada Armando Sales, 5.205, Bairro Recreio Campestre, Itapecerica da Serra (SP)

No comments yet.

Join the Conversation