Taata Katuvanjesi é homenageado no Festival Kizoonga Bantu Taanu em Salvador

Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi – Walmir Damasceno, dirigente do ILABANTU e Sacerdote do Nzo Tumbansi realizou durante três dias, representando todos os membros do Nzo de Itapecerica da Serra, uma viagem a Salvador onde foram recebidos pela Senhora Gereuna Passos Santos, Néngwa kwa Nkisi Lembamuxi, sacerdotisa máxima do candomblé de tradição congo-angola, atual dirigente do Unzó Tumbenci, sucessora e herdeira espiritual de Thuenda Dia Nzambi – Maria Genoveva do Bonfim, também conhecida como Maria Nenê. Momento de fortalecimento e comunhão com as raízes do Tumbenci, pois usufruíram da presença desta fortaleza do “Nguunzu” ancestral.

Taata Katuvanjesi compondo a mesa do Festival Kizoonga Bantu Taanu,
entre as diversas e variadas autoridades religiosas do candomblé da Bahia presentes ao evento da Acbantu

 

A ida também foi motivada para a participação no FESTIVAL KIZOONGA BANTU TAANU –Quinta Reunião do Povo, com o tema: As Heranças do Povo Bantu escritas por seus Descendentes, no dia 12 de Dezembro de 2012, às 15h00, no Auditório do SESC/SENAC Pelourinho, na qual foram celebrados os 12 anos de história da ACBANTU (Associação cultural de preservação do patrimônio Bantu).

Foram momentos especiais com apresentações culturais, comidas típicas, exposição de produtos da Kitaanda Bantu, desfile de moda afro, entre outros. Destaca-se a enorme presença de convidados, em especial os Povos de Terreiro e demais Povos e Comunidades Tradicionais dos Territórios do Recôncavo Baiano, Piemonte Norte do Itapicuru, Sertão do São Francisco e Região Metropolitana de Salvador.

Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi foi especialmente homenageado, como membro destacado da Raiz do Tumbenci, e Taata Kwa Nkisi do Nzo Tumbansi, estabelecido em Itapecerica da Serra, região metropolitana sul da Grande São Paulo, e proferiu uma fala no FESTIVAL KIZOONGA BANTU TAANU – Quinta Reunião do Povo, com o tema: As Heranças do Povo Bantu escritas por seus Descendentes, onde destacou as atividades do Nzo Tumbansi no Estado de São Paulo, como referência do candomblé congo-angola na região sudeste do país.

De modo especial destacamos a realização da Roda de Diálogos Ancestrais Bantu envolvendo as reflexões dos Terreiros da Nação Congo-Angola e Quilombos Urbanos que se encontraram durante as atividades do Novembro Negro, apoiadas pela SEPROMI, bem como a assinatura do “Convênio Nguunzu kwa Bakulu etu” celebrado entre a ACBANTU e a Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres do Governo do Estado da Bahia.

Dessa forma, foi especialmente significativo celebrar os doze anos da ACBANTU dedicados a preservar a memória de nossos Ancestrais e em seu nome empreender as lutas pelos direitos dos Povos de Terreiro do Brasil.

Nzaambi wutusaambulwa!

Taata Kwa Nkisi Muta Ime e Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi

 

Taata Kwa Nkisi Katuvanjesi sendo homenageado por um grupo de jovens do grupo Timbalada

 

Taata Katuvanjesi e um Grupo de Religiosos do Candomblé que apresentou Samba de Roda

No comments yet.

Join the Conversation