Viagem do Rei do Bailundo ao Brasil: Representante brasileiro antecipa encontro com Ekwikwi V

Por José Armando Estrela, texto e fotos

Luanda/Angola – A entidade brasileira que impulsiona a viagem histórica de um rei bantu angolano ao Brasil, Taata Nkisi Katuvanjesi (Walmir Damasceno), coordenador nacional do Instituto Latino Americano de Tradições Afro Bantu, ILABANTU/ Nzo Tumbansi), é aguardado terça-feira, 17 de Fevereiro, em Luanda, capital de Angola, para acertos finais sobre a digressão que o Rei do Bailundo, Ekuikui V, deve efectuar ao Brasil a partir do dia 4 de Abril.Os detalhes da visita de Taata Nkisi Katuvanjesi ao município do Bailundo, província do Huambo (região do Planalto Central), onde se deve reunir com o Rei “Ekwikwi V” (Armindo Francisco Kalupeteca), foram avaliados esta semana (quinta e sexta-feira) junto da Corte do Bailundo pela comissão angolana que prepara a ida da caravana do Soberano Ekuilui V ao Brasil, integrada pela secretaria de Relações Internacionais e representante do ILABANTU para a África Austral, Judith Luacute, e pelo jornalista José Armando Estrela.

DSC01362Doutora Judith Luacute, chegando ao Reino do Bailundo

O Soberano Armindo Francisco Kalupeteca “Ekwikwi V”, que tem mantido estreitas ligações e contactos com Taata Nkisi Katuvanjesi, está entusiasmado em oferecer ao visitante o melhor da cultura local, entre danças e pratos tradicionais. Taata Katuvanjesi deve também receber cumprimentos das entidades governamentais da província do Huambo que vão marcar presença na cerimónia de recepção e nas demais actividades agendadas pela Corte.

Durante dez dias, Taata Katuvanjesi vai tomar contacto com diversas entidades tradicionais (Corte) da Ombala Mbalundo (Sede Administrativa do Reino do Bailundo). A presença de Taata Katuvanjesi é aguardada também com grande expectativa, com realce para os cerimoniais tradicionais que terão lugar, muitos deles reservados com exclusividade para entidades que devem tomar o trono no Reino do Bailundo ou em qualquer uma das entidades tradicionais que representam a Corte.

DSC01354Doutora Judith Luacute , o Soberano do Bailundo (terno azul) e membros da corte

Em carácter oficial, esta visita também serve para alinhar detalhes do roteiro de Ekwikwi V ao Brasil, numa comitiva que integra a rainha Joaquina Kassueka Tawape, o secretário-geral e um curandeiro do Reino, além de dois assistentes do monarca, de dois membros da organização e jornalistas.

Em conversa com Walmir Damasceno, Ekuikui V disse estar feliz em receber o representante brasileiro, pois considera significativa a intenção deste estreitamento e fortalecimento das relações culturais afro bantu Angola/Brasil. O líder do Reino do Bailundo prometeu tudo fazer, para receber o convidado brasileiro “nestas terras maravilhosas que também são suas por direito ancestral”.

DSC01291

Ekwikwi V falou da sua satisfação em pisar em solo brasileiro pela primeira vez, facto histórico que acontecerá dia 4 de Abril deste ano. Com a sua chegada à São Paulo, a comitiva de Ekuikui V deve percorrer as principais capitais e cidades brasileiras, a exemplo de Brasília (Distrito Federal), Salvador, Ilhéus, Itabuna e Ipiaú (Bahia), Belo Horizonte (Minas Gerais), Recife (Pernambuco), Serra da Barriga (Alagoas), e Rio de Janeiro.

O acontecimento está a ser considerado um facto histórico, já que é a primeira vez que um rei tradicional bantu visita o Brasil após a escravidão. A visita do Soberano do Reino do Bailundo é um facto histórico e simboliza o encontro de descendentes do povo bantu com um soberano da mesma etnia, séculos após a abolição da escravatura. Significa um encontro de laços que o oceano Atlântico não conseguiu apagar.

DSC01317

Chegada do líder tradicional do Nzo Tumbansi ao Bailundo

A chegada do líder tradicional do Nzo Tumbansi à Sede Administrativa do Reino do Bailundo será marcada por um ritual tradicional em que o Rei acende o fogo – em Umbundu diz-se “Okuchakanla Otchiyocola”- antecedido por uma cerimónia de apresentação do visitante à sociedade tradicional e família do Soberano, de acordo com os rituais da tradição Umbundu.

DSC01318Dra. Judith Luacute entrega presente ao Rei

Além disso, a cerimónia para homenagear o ilustre visitante será marcada por danças tradicionais, entre elas o tradicional Olundongo, dramas sobre a vida do Rei, historia da Ombala Mbalundo e outros atractivos próprios para estas ocasiões. Taata Katuvanjesi deve ainda visitar dois santuários, um localizado na Montanha Sagrada e outro na Ombala, locais em que serão transmitidos os detalhes sobre o Reino do Bailundo.

Ekwikwi V (Armindo Francisco Kalupeteca)

O actual Rei do Bailundo, Armindo Francisco Kalupeteca (Ekwikwi V), é neto do antecessor Augusto Katchitiopololo (Ekuikui IV) e nasceu em 24 de Março de 1974, na aldeia de Calondueio, comunidade de Luvemba, município do Bailundo, província do Huambo, região central da República de Angola. Ekwikwi V foi eleito pela Corte da Ombala em 2008 como ajudante do Rei Katchitiopololo e em 2010 foi oficializado como adjunto do Rei Ekuikui IV.

DSC01360Jornalista José Armando Estrela, o Rei Ekwikwi V,
Dra. Judith e membros da corte do Reino do Bailundo

A sua maneira de dar solução aos problemas, apresentados nos julgamentos tradicionais, transmitiram confiança à Corte da Ombala em promovê-lo Rei, além da sua afinidade sanguínea com o antecessor. A Ombala Mbalundo conta com 35 sobas, que representam a Corte. Diariamente recebem dois a três julgamentos, principalmente os relacionados com usurpação de terrenos, dúvidas relacionadas à paternidade, abuso sexual e roubos.

Já passaram pela Ombala Mbalundo 35 Reis, o último foi Augusto Katchitiopololo “Ekwikwi IV”, antecedido pelo Rei Manuel da Costa “Ekwikwi III” falecido em 1996. O Reino do Bailundo foi fundado no século XV.

Texto e Fotos de José Armando Estrela da redação Kimwanga-Nsangu – Correspondente de Angola

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.