Projeto “Samba de terreiro” planeja criação de registro histórico da memória de sambas tradicionais de comunidades de terreiro

Ilhéus, Itabuna/Ba – O projeto “Samba de terreiro”, que prevê a pesquisa, registro e divulgação da memória de sambas tradicionais criados e executados nas comunidades de terreiro do Litoral Sul da Bahia, fortalecendo a preservação da identidade das comunidades religiosas de matriz afro-brasileira, planeja ações que corroborem com a lei 10.639-03 (que prevê o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana nas escolas) durante a “Semana da Consciência Negra”.

samba-de-terreiro

O objetivo dos coordenadores do projeto é a produção de um DVD e uma cartilha com base em entrevistas com membros dos mais tradicionais terreiros dos municípios de Ilhéus e Itabuna, para serem distribuídos gratuitamente nas escolas da rede pública de ensino dos municípios de Ilhéus e Itabuna, nas comunidades de terreiro e em espaços culturais.

As ações também incluem a produção de um show com o “Grupo Sambadíla” interpretando um repertorio baseado no material pesquisado. As atividades de exibição do DVD e apresentações artísticas acontecerão entre os dias 20 e 23 de novembro. A apresentação do “Sambadíla” acontecerá na sede do “Dilazenze”e o DVD terá exibição gratuita no “Terreiro Matamba Tombenci Neto” em Ilhéus, no “Terreiro Ilê Axé Oyá Funké” em Itabuna e na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) durante a Semana da Consciência Negra.

Proposto pelo musico percussionista Gilsonei Rodrigues (Mestre Ney), presidente do “Grupo Cultural Dilazenz”, o projeto “Samba de Terreiro” foi contemplado no edital “culturas identitárias” de “Fomento a Cultura-Fundo de Cultura da Bahia” e conta com o apoio na coordenação pedagógica do Prof. Dr. Andre Rosa Ribeiro, coordenador do CEDOC – UESC (centro de documentação e memória).

Arnaldo dos Anjos, da redação Kimwanga-Nsangu – Agência de Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.